Universidade Federal de Juiz de Fora – UFJF

Apresentação

O Programa de Pós-Graduação em Artes, Cultura e Linguagens da Universidade Federal de Juiz de Fora – UFJF abriga pesquisas advindas de matrizes metodológicas, práticas e teóricas ligadas à Arte e à Cultura, com viés interdisciplinar conforme recomendação do Documento de Área de Artes/Música 2016. Acolhe subáreas do conhecimento no campo das artes, no qual as linguagens artísticas e a cultura são compreendidas como eixos transversais que se fundamentam conceitualmente. O programa reúne professores pesquisadores e artistas que concebem a pesquisa, a produção artística e a reflexão a partir da mobilização e da interlocução de repertórios e subsídios provenientes de variados domínios de pesquisa no campo das ciências humanas e sociais e nos entrecruzamentos com as tecnologias.

São três as linhas de pesquisa que estruturam o PPG-ACL e que contemplam cursos de mestrado e doutorado:

1) “Arte, Moda: História e Cultura”: investiga as artes visuais e a moda, em seus movimentos de reflexão e produção, a partir de abordagens teóricas e metodológicas embasadas em processos e interpretações históricas e culturais, na convergência com a área das Ciências Humanas. Abarca projetos cujos temas estejam voltados para os processos artísticos e análises críticas, históricas e sociológicas da arte e/ou da moda, em contextos regionais, nacionais e internacionais.

2) “Cinema e Audiovisual”: concentra-se em produções teóricas e teórico-práticas sobre o cinema e o audiovisual, com referencial voltado às questões relacionadas à narrativa, à estética e à história e historiografia do cinema. Problematiza questões que se articulam com as dimensões autoral e de gênero, a análise fílmica, as construções narrativas e suas implicações socioculturais, em diálogo interdisciplinar com demais artes e campos do saber.

3) “Estudos Interartes e Música”: reúne produções teóricas e teórico-práticas que exploram e investigam as relações entre as linguagens artísticas, a justaposição de dois ou mais sistemas de linguagem, a transposição de um sistema por outro, as relações entre textos​​ em dois ou mais sistemas. A linha também investiga atividades musicais criativas incluindo música e novas mídias; música e outras artes; música, ciência e tecnologia.

Assim, a interdisciplinaridade está ligada a uma maneira de conceber a(s) Arte(s) no mundo atual, considerando seu intenso entrelaçamento e aproximação com a cultura de um modo geral. A Cultura, nessa perspectiva, é vista como elemento de hibridação, princípio transformador dos processos artísticos na contemporaneidade. A hibridação se aplica notadamente no caso da abordagem de temas e problemas complexos que desafiam a pesquisa contemporânea, envolvendo, além da transferência de métodos e tecnologias, trocas recíprocas e mesmo a criação de novos conceitos e metodologias interdisciplinares.

A meta do Programa de Pós-Graduação em Artes, Cultura e Linguagens, nível Doutorado, é reforçar a interface entre prática e teoria, já desenvolvida em âmbito de Mestrado pelo PPG-ACL, bem como garantir uma formação intelectual, cultural e artística ampla e aprofundada para profissionais e pesquisadores qualificados para a produção e o ensino.

O Instituto de Artes e Design da Universidade Federal de Juiz de Fora, ao qual está vinculado o PPG-ACL, entende a cultura criativa contemporânea como coluna vertebral de seu projeto pedagógico e da estrutura curricular de todos os cursos de graduação e pós-graduação, eixo a partir do qual são alimentados os focos irradiadores de seus estudos no âmbito da arte e dos processos artísticos. Propõe-se como um lugar de reflexão e de intercâmbio que trabalha para o desenvolvimento de competências criativas e investigativas.

Programa: ufjf_modules2019

Professores

Profª. Drª Alessandra Souza Melett Brum, mestra e doutora pelo Programa de Pós-Graduação em Multimeios pelo Instituto de Artes da Unicamp. É pós-doutora pela Université Sorbonne Nouvelle – Paris III, com bolsa Capes. Autora do livro “‘Hiroshima mon amour’ e a recepção da crítica no Brasil” (Annablume, 2014); produziu e realizou diversos curtas-metragens e atua nas áreas de história e historiografia do cinema, crítica cinematográfica, processos de criação e narrativas em cinema e audiovisual. Coordena o projeto “Minas é Cinema”, financiado pelo CNPq, Fapemig e UFJF.

Prof. Dr. Felipe de Castro Muanis, mestre e doutor em Comunicação Social, com mestrado defendido na PUC-Rio e doutorado na UFMG, e passagem pela Bauhaus Universität-Weimar, Alemanha. Foi professor visitante na Universität Paderborn e no Institüt für Medienwissenschaft na Ruhr Universität Bochum (ambos na Alemanha), no International Master in Audiovisual and Cinema Studies (IMACS). Também atuou como ilustrador e diretor de arte, associado à Sociedade dos Ilustradores do Brasil (SIB). Publicou o livro “Audiovisual e mundialização: televisão e cinema” (2014) e “A Imagem televisiva: autorreferência, temporalidade, imersão” (2018). Atualmente desenvolve a pesquisa “As metaimagens e a transformação do visível na televisão contemporânea”.

Prof. Dr. Luís Alberto Rocha Melo, mestre e doutor em Comunicação pela UFF. Desenvolve a pesquisa “Historiografia Audiovisual do Cinema no Brasil”, financiada pelo CNPq, Fapemig e UFJF. Trabalha com história e historiografia do cinema brasileiro; direção cinematográfica; processos de criação e produção no cinema independente. Dirigiu diversos filmes e vídeos em longa, média e curta-metragem, exibidos em festivais no país e no exterior. Publicou, entre outros estudos, “Radio stars on screen: critiques of stardom in Moacyr Fenelon’s ‘Tudo azul’ (1952)”, capítulo do livro “Stars and stardom in Brazilian cinema”, organizado por Tim Bergfelder, Lisa Shaw e João Luiz Vieira (Nova York: Berghan Books, 2016).

Prof. Dr. Sérgio José Puccini é mestre e doutor em Multimeios pelo Instituto de Artes da Unicamp. Pós-doutor pela Université Sorbonne Nouvelle – Paris III, com bolsa Fapemig. Tem experiência na área de Artes e Cinema, com ênfase em roteiro, dramaturgia, documentário e som no cinema. É autor dos livros “Amanhã. Aqui. Nesse mesmo lugar” (Javali, 2008) e “Roteiro de documentário: da pré-produção à pós-produção” (Papirus, 2009), publicado também na Argentina em 2015 pela La Marca Editora com o título “Guión de documentales: de la preproducción a la posproducción”.

Profª. Drª Maria Claudia Bonadio Dra. em História pela Unicamp e pesquisadora de temas relativos à cultura visual, gênero e consumo. Atualmente desenvolve pesquisas sobre a relação entre as telenovelas e a moda brasileira com apoio da Fapemig. Autora dos livros “Moda e sociabilidade: mulheres e consumo na São Paulo dos anos 1920” (2007) e “Moda e publicidade no Brasil dos anos 1960”(2014) e organizadora dos livros “História e Cultura de Moda” (2011) e “Histórias do vestir masculino” (2017). Tem artigos publicados em periódicos nacionais e internacionais como Fashion Theory; International Journal of Fashion Studies; Film, Fashion & Consumption. É líder do Grupo de Pesquisa História e Cultura de Moda. Desde 2015 é editora da revista dObra[s]: da Associação de Estudos e Pequisas em Moda.

Profª. Drª. Patrícia Moreno Possui doutorado em História pela Universidade Federal Fluminense (2011) e mestrado em História, pela mesma instituição (2000). Graduou-se em História na Universidade Federal de Juiz de Fora (1997) e possui Especialização em Moda, Cultura de Moda e Arte na Universidade Federal de Juiz de Fora (2010). Pesquisa as manifestações artísticas que utilizam a imagem em movimento como suporte (super 8, 16mm, 32mm e vídeos), com ênfase na modalidade Filmes de Artista no Brasil dos anos 1970 e os primórdios da videoarte no país. Tem experiência na docência de nível superior na área de História da Arte, atuando, principalmente, nas áreas de História da Arte Moderna e Contemporânea.

Prof. Dr. Christian Hugo Pelegrini Doutor em Audiovisual pela Universidade de São Paulo (USP). É coordenador do ENTELAS: Grupo de Pesquisa em Conteúdos Transmídia, Convergência de Cultura e Telas e pesquisador do grupo de pesquisa GEIFEC – Grupo de Estudos sobre Itinerários de Formação em Educação e Cultura, da USP. Pesquisa nas áreas de  enunciação audiovisual, TV, cinema, narrativas seriadas, estética narrativa, comédia,história do cinema, história da TV. É organizador do livro “Perspectivas do audiovisual contemporâneo: urgências, conteúdos e espaços” (2019).

Research groups: “Cinema and Audiovisual”:

1) CPCine: História, Estética e Narrativas em Cinema e Audiovisual, coord.: Alessandra Brum e Sérgio Puccini, concentra suas atividades em torno de reflexões teóricas e práticas sobre a história do cinema e da produção audiovisual.

2) Historiografia Audiovisual, coord.: Luís Alberto Rocha Melo, investiga a produção de filmes brasileiros documentais e ficcionais que apresentem como tema e objeto de reflexão a história da atividade cinematográfica no Brasil.

3) ENTELAS: Grupo de Pesquisa em Conteúdos Transmídia, Convergência de Cultura e Telas, coord.: Felipe de Castro Muanis e Christian Hugo Pellegrini (docente permanente do curso de Mestrado do PPG-ACL), realiza estudos que englobam a televisão, o cinema, os dispositivos móveis, os computadores, os games e as histórias em quadrinhos.

 

Processo seletivo para alunos IMACS do exterior 

  1. A universidade parceira envia os nomes e contatos dos alunos via email;
  2. Nós enviamos aos alunos um email de boas-vindas, pedindo a eles que completem o seguinte formulário e nos enviem por email o histórico acadêmico;
  3. Fazemos a Carta de Aceite, imprimimos e colhemos a assinatura da diretora de relações internacionais;
  4. Enviamos a Carta de Aceite física por correio com o Manual do Estudante Estrangeiro para a universidade parceira e enviamos a cópia digitalizada para o aluno, instruindo a ele que peça a emissão do visto e do CPF no consulado brasileiro mais próximo (por vezes também enviamos cópia da carta diretamente ao consulado);
  5. Enviamos os dados dos alunos para o Programa Buddy, que faz a alocação do buddy de cada intercambista, auxilia os estrangeiros a encontrarem moradia, ajuda a DRI a informá-los sobre transporte, alimentação, aulas, lazer, etc;
  6. Recebemos os intecambistas com o Orientation Day (acontece normalmente no primeiro dia de aulas do semestre, mas, quando possível, fazemos uma semana antes). Nele fazemos as orientações de matrícula, carteira de estudante, aulas, RU, biblioteca, preenchemos os formulários, GRUs e recolhemos toda a documentação necessária ao registro na PF, marcamos o dia e horário da entrevista (de preferência todos juntos) e por fim fazemos um campus tour;
  7. Uma vez que os alunos nos enviam a cópia do protocolo da PF, enviamos a documentação deles para o setor de registros acadêmicos da UFJF (CDARA), que faz a matrícula deles e nos envia os números;
  8. Com os números, os intercâmbistas fazem suas carteiras de estudante;
  9. No final do semestre, pedimos o cancelamento das matrículas e emissão dos históricos dos alunos que voltam aos seus países. O intercâmbio somente é finalizado se o aluno não deixou pendências na biblioteca;
  10. Enviamos as vias originais dos históricos por correio para a universidade parceira e enviamos a cópia digitalizada para o aluno.

Informação útil

Coordenador local:

prof. Felipe Muanis

About the academic year correspondence between UFJF and Europe

No Brasil o ano acadêmico começa no início do ano, diferentemente do modelo europeu. As datas podem variar mas aproximadamente o primeiro semestre começa em torno do dia 1º de março e termina em torno do dia 3 de julho (no Brasil, outono-inverno). O segundo semestre começa em torno do dia 1º de agosto e termina em torno do dia 3 de dezembro (no Brasil, inverno-primavera). No nível da pós-graduação a entrada do estudante acontece na maioria das vezes no primeiro semestre e não no segundo semestre. Contudo, para evitar problemas entre os calendários do IMACS e da UFJF, o PPG-ACL adotará para os alunos IMACS a entrada no segundo semestre, com o processo seletivo ocorrendo no primeiro semestre do mesmo ano.

Laboratórios para pesquisa

O prédio do IAD é formado por 03 blocos, os 02 primeiros inaugurados e ocupados desde 2009, compreendendo uma área de 2.520 m² e abrigando a secretaria geral do Instituto; sala das coordenações de curso; salas de professores com 08 gabinetes para 04 professores cada; sala de direção da Unidade; sala das chefias de Departamento; biblioteca setorial; sala do diretório acadêmico; sala de fotocópia; 06 salas de aula de carteiras de braço com capacidade para 40 a 70 alunos cada; 03 salas com mesas e cadeiras com capacidade para 45 alunos cada; 02 laboratórios de informática equipados com computadores individuais com capacidade para 35 alunos cada; 06 oficinas específicas e equipadas com material específico para aulas práticas (marcenaria e serralheria; cerâmica e escultura; desenho e técnicas de expressão; pintura; fotografia e técnicas seriais; gravura); 05 gabinetes acústicos específicos para o ensino de música; biblioteca setorial; sala de vigilância, depósito, banheiros masculino e feminino, banheiros de professores e funcionários e banheiros adaptados.

Em 2013 entrou em construção um terceiro bloco, com 02 pavimentos de 1.500 m² para 04 salas de aula; nova biblioteca setorial ampliada; infocentro; 01 estúdio de cinema e audiovisual, com câmeras digitais profissionais, refletores, tripés, grua, equipamentos de maquinária (grua, carrinho, trilhos), fones de ouvido, microfones, gravadores de áudio, computadores e periféricos; sala de cinema; sala de edição equipada com computadores; galeria de arte; auditório multiuso; 14 salas específicas com isolamento acústico para o ensino de música; depósito de instrumentos musicais; nova sala para o Diretório Acadêmico e 04 banheiros; cantina; teatro de arena; estacionamento com 250 vagas para veículos. É nesse terceiro bloco que se encontra atualmente o PPG-ACL.

Além da infraestrutura oferecida pelos 03 blocos do IAD, acima descrita, os professores e alunos do Programa também contam com 01 sala destinada às atividades da Secretaria da Pós-Graduação; 01 sala para Coordenação; 01 sala de aula reservada às disciplinas oferecidas pelo PPG-ACL e 01 sala para redação/secretaria da Revista NAVA – Revista do Programa de Pós-Graduação em Artes, Cultura e Linguagens.

Atualmente o IAD conta com 02 laboratórios de informática equipados com 35 computadores cada e acesso livre à internet (wifi). No novo prédio do IAD, a partir do final de 2013, entrou em funcionamento um Infocentro e uma nova Biblioteca Setorial. O Programa de Pós-Graduação em Artes, Cultura e Linguagens conta em sua Secretaria e na sala de Coordenação com 04 computadores com acesso livre à internet, e recentemente foram adquiridos mais 02 computadores completos e 01 projetor para exibição de filmes, powerpoints e realização de teleconferências. Nas salas de aula do Curso de Mestrado contamos com 02 computadores e 01 smart-TV. Na sala/redação/secretaria da Revista NAVA há um computador com acesso livre à internet (wifi).

Caracterização do acervo da biblioteca

A UFJF possui 16 bibliotecas gerenciadas pelo Centro de Difusão do Conhecimento (CDC): a Biblioteca Universitária (que conta com mais de 70 mil títulos) e 15 bibliotecas setoriais, localizadas nas unidades acadêmicas e culturais com acervos especializados. O CDC centraliza e coordena serviços e produtos informacionais das bibliotecas da UFJF, e tem a finalidade de reunir, organizar e difundir a informação documental necessária ao desenvolvimento das atividades de ensino, pesquisa e extensão da Universidade.

O acervo abrange as áreas de Ciências Sociais e Aplicadas, Ciências Humanas, Ciências Exatas e da Terra, Ciências da Saúde, Ciências Biológicas, Engenharias, Linguística, Letras e Artes. Todas as obras podem ser pesquisadas pela internet através do catálogo on-line. O acervo consiste em livros, folhetos, publicações avulsas, obras de referência, periódicos, material audiovisual e trabalhos de conclusão de curso (TCCs).

Há também um repositório de teses e dissertações produzidas na Universidade, disponibilizadas pela Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da UFJF (BDTD/UFJF), que por sua vez encontra-se integrada à Biblioteca Digital de Teses e Dissertações do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (BDTD/IBICT). O acervo relativo à área de Linguística, Letras e Artes, à qual está vinculado o PPG-ACL, compõe-se atualmente de um total de 26.133 obras disponíveis para consulta.

Vale mencionar também que as bibliotecas da UFJF possuem assinaturas de revistas e jornais impressos (“Estado de Minas”, “O Estado de S. Paulo”, “Folha de S. Paulo”, “Caros Amigos”, “Carta Capital”, “Tribuna de Minas”, “O Globo”, “Veja”, “IstoÉ”, “Super Interessante”, entre outros) e diversas assinaturas de publicações eletrônicas de caráter multidisciplinar.

A Biblioteca Central funciona de segunda a sexta-feira, das 7h às 22h e aos sábados das 8h às 12h. Compõe-se de 19 setores, dentre os quais 01 sala de leitura com 151 assentos e 02 salas para grupos de estudos com 11 assentos cada uma. O CDC conta com 43 servidores técnico-administrativos e 37 colaboradores terceirizados, com membros da equipe treinados na Língua Brasileira de Sinais (Libras). As bibliotecas central e setoriais oferecem como serviços: orientação à pesquisa local; empréstimo do acervo; treinamentos de turmas e grupos de pesquisa no portal de periódicos Capes e outras bases científicas; normalização e elaboração de ficha catalográfica.

As bibliotecas possuem redes de internet sem fio, biblioteca digital on-line de serviço público, acesso ao portal Capes de periódicos e infocentros, onde são disponibilizados vários computadores para os alunos e para a comunidade. A UFJF também dispõe de acesso ao periódico da Capes por meio de site, através do Sistema Integrado de Gestão Acadêmica (SIGA/UFJF).

No que concerne ao PPG-ACL, faz-se necessário destacar a Biblioteca Arlindo Daibert e Biblioteca do Museu de Arte Murilo Mendes (MAMM/UFJF). A primeira situa-se nas dependências do Instituto de Artes e Design e foi criada em 1994 a partir da doação para o IAD da biblioteca pessoal do ex-professor e artista plástico Arlindo Daibert. Ampliada ao longo dos últimos 22 anos, conta em seu acervo com publicações nas áreas de artes visuais, história da arte, crítica de arte, cinema, fotografia, moda, design, literatura, entre outros.

Já a Biblioteca do MAMM é constituída de aproximadamente 12.000 exemplares nas área de literatura e artes, incluindo obras raras, periódicos e obras de referência.

Curso de línguas

O Programa IDIOMAS SEM FRONTEIRAS foi elaborado a partir da necessidade de se aprimorar a proficiência em línguas dos estudantes universitários brasileiros. Para atender tal demanda, suas ações incluem a oferta de cursos a distância e cursos presenciais de línguas, além da aplicação de testes de proficiência.

Fruto do trabalho conjunto entre o Ministério da Educação (MEC), a Secretaria de Educação Superior (SESu) e a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), seu principal objetivo é incentivar o aprendizado de outras línguas  e propiciar uma mudança abrangente e estruturante no ensino de idiomas estrangeiros nas universidades do País.

O Programa IsF abrange diferentes tipos de apoio à aprendizagem das línguas inglesa, espanhola, francesa, italiana, alemã e portuguesa (direcionada a estrangeiros) .

A UFJF oferece cursos de português para alunos estrangeiros. As matrículas dos alunos intercambistas são feitas somente na Diretoria de Relações Internacionais. As matrículas dos demais alunos são feitas na Faculdade de Letras no horário das aulas do curso de extensão, diretamente com a professora.

Check out the English version here: translation ufjf

 

Advertisements